IGP-M teve alta de 8,35% nos últimos 12 meses



  

Índice que reajusta o valor do aluguel teve alta de 8,35% nos últimos 12 meses até setembro de 2015.

Quem paga aluguel tem um motivo a mais para se preocupar, pois o IGP-M – Índice Geral dos Preços-Mercado – teve uma alta de 8,35% nos últimos 12 meses, contando até setembro.

Só neste último mês a alta foi de 0,95%, sendo que em agosto foi de 0,28%. A pressão que resultou  neste aumento veio principalmente do contínuo aumento de preços no atacado.

A FGV – Fundação Getúlio Vargas – publicou no dia 29 de setembro, os dados referentes ao acumulado deste ano e o índice chegou a registrar 8,35%, lembrando que o IGP-M é utilizado para corrigir os valores do aluguel. Quem tem contrato vencendo agora, vai ter que arcar com mais este aumento nas despesas.

Para a formação do IGP-M são utilizados vários outros índices e o IPA – Índice de Preços ao Produtor Amplo, é um dos que fazem parte do IGP-M sendo que este faz a medição da variação que ocorre nos preços do atacado e é responsável por quase 60% do Índice Geral. E com a contínua alta dos preços no varejo, o IPA subiu 1,30% neste último mês de setembro, sendo que em agosto a alta foi de apenas 0,20%.

O IPC – Índice de Preços ao Consumidor  – é responsável por 30% do índice geral e registrou uma alta em setembro de 0,32% contra 0,24% em agosto.

O grupo "Alimentação" é que vem registrando as maiores altas, pois em agosto o registro foi de 0,01% e em setembro a alta dos preços foi de 0,17%, uma alta que pesou bastante. Até as frutas que vinham mantendo o preço, tiveram elevação e o consumidor está precisando pagar mais caro por elas.





O INCC – Índice Nacional de Custo da Construção – também apresentou elevação chegando a 0,22% em setembro. Em agosto este índice registrou um aumento de 0,80%.

Com todos estes aumentos, quem paga aluguel pode esperar por um bom aumento na próxima renovação do contrato.

O IGP-M é um índice bastante utilizado e serve de referência não só para as correções nos valores dos aluguéis, como também para os próximos aumentos na conta de energia elétrica, entre outros contratos.

Por Russel

IGP-M



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *