Construtoras e incorporadoras ganharam nova linha de crédito que vem do FGTS oferecida pela Caixa. Será liberado R$ 1 bilhão para esse tipo de financiamento

A Caixa Econômica Federal está oferecendo uma nova linha de crédito para construtoras e incorporadoras. O recurso para o crédito vem do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de serviço) e poderão utilizar a nova linha todas as empresas que tiverem empreendimentos com unidades residenciais que tenham o valor de até R$ 300 mil. O banco afirmou que será liberado um montante de R$ 1 bilhão para esse tipo de financiamento.

O financiamento utilizando o FGTS, no entanto é de até 80% do valor total da obra, sendo limitado a somente 50% do valor total das vendas e as taxas de juros do financiamento é de cerca de 8,5% ao ano.

A empresa que estiver interessada deverá apresentar, para análise de risco, o seu projeto de engenharia e toda a documentação da obra. É necessária também a confirmação da comercialização de, no mínimo, 30% das unidades da obra, até a data do começo da construção desta, como forma de confirmar que o financiamento poderá ser pago pela construtora.

A inscrição deve ser feita através do site da Caixa, no endereço eletrônico www.caixa.gov.br. No site há uma opção para o envio de documentos para avaliação do crédito das empresas.

As empresas que trabalham com construção de unidades residenciais podem contar também com outras linhas de crédito, com condições similares às oferecidas para quem usa o FGTS, oferecidas pela Caixa. Os valores são de R$ 750 mil para os estados de Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal e o valor de até R$ 650 mil nos outros estados do país.

É mais uma iniciativa do governo para aquecer o mercado imobiliário no Brasil, que anda um pouco desacelerado devido à crise econômica do país. Se a iniciativa der certo, talvez daqui a algum tempo, as oportunidades de créditos oferecidos sejam bem mais diversificadas, contribuindo para o reaquecimento do setor. A Caixa visa também fomentar maiores investimentos para o programa do Governo Federal “Minha Casa Minha Vida”.

A nova linha de crédito que foi anunciada nesta terça-feira (dia 4) vem para reforçar o foco dado pela empresa a programas sociais neste ano de crise na economia brasileira. 

Por Patrícia Generoso

Construtoras


BB oferece nova linha de crédito de financiamento de até 90% do valor do imóvel novo ou usado, com taxa de juros de 9% ao ano.

Uma nova linha de crédito para aquisição da casa própria está disponível a partir desta semana no Banco do Brasil. O banco público está oferecendo financiamento de até 90% do valor do imóvel novo ou usado. O financiamento pode ser estendido em até 30 anos, com taxa de juros de 9% ao ano. Vale ressaltar que apenas imóveis com valor de até R$ 400 mil estão inclusos na nova linha de crédito.

Chamado de Pró-cotista, o crédito habitacional utiliza os recursos do Programa Especial de Crédito Habitacional ao Cotista do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O financiamento só é válido para quem tem uma conta ativa no FGTS e possui no mínimo 36 contribuições ao fundo, seguidas ou não.   Caso o interessado em realizar o financiamento não tenha uma conta ativa no FGTS, é necessário que o mesmo possua um saldo no fundo igual ou superior a 10% do valor total do imóvel ou da escritura, o que for de maior importância.

Tais condições para a nova linha de crédito foram definidas no mês de maio pelo Conselho Curador do FGTS.   

O Banco do Brasil espera oferecer cerca de R$ 1 bilhão para novas operações de crédito imobiliário. A instituição financeira conseguiu identificar 2,2 milhões de clientes que reúnem condições suficientes para se beneficiar do financiamento imobiliário.   

Visto que nos últimos meses ficou mais difícil para os brasileiros obterem financiamento imobiliário, a nova linha de crédito deverá despertar interesse dos habilitados a aderirem.

A carteira de crédito imobiliário do banco atingiu, em abril, R$ 42,06 bilhões, um crescimento de 45,9% nos último 12 meses. 

No mês de abril deste ano, a Caixa restringiu o financiamento de imóveis usados, o que tornou a vida dos brasileiros interessados em imóveis ainda mais difícil. Antes, a instituição pública oferecia crédito de financiamento para até 80% do preço de um imóvel usado, sendo que a pessoa poderia dar apenas 20% de entrada. Agora, com o ajuste, é necessário que o interessado dê 50% do valor na entrada, visto que o banco financia apenas os outros 50% do imóvel usado.  

O aumento dos juros também afetou o mercado imobiliário. Isso acontece porque os bancos utilizam o dinheiro da poupança para financiar as operações imobiliárias. Com a crise econômica atual, os depósitos na poupança têm caído consideravelmente, aumentando os juros aplicados no financiamento de imóveis.

Por William Nascimento

Financiamento de imóveis





CONTINUE NAVEGANDO: