Quem comprou imóvel na planta pode se preparar para um aumento maior do reajuste das parcelas. Isto porque devido ao aquecimento do mercado da construção civil, o valor da mão de obra do setor que subiu na faixa de 2,54% no último mês em função de datas base da categoria, o INCC (Índice Nacional da Construção Civil) que reajusta as parcelas de imóveis em construção chegou ao patamar de 1,77% no mês de Junho, bem acima das projeções de inflação.

Por exemplo, no último boletim Focus o mercado projetava a inflação em torno de 0,14%, podendo chegar a 0,19%, conforme medições do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

Como as parcelas são reajustadas pelo índice especifico da construção civil, neste mês a variação ficará acima da inflação oficial. Algo que não ocorria deste o período compreendido entre agosto do ano passado e março deste ano, quando esta variação foi bem menor que a inflação.

No entanto em abril a coisa começou a mudar e os preços praticados no setor construção civil subiram e a perspectiva é que continuem subindo nos próximos meses, mas talvez em um ritmo um pouco menor do que agora, mas o que de qualquer forma deverá manter os próximos reajustes das parcelas acima da inflação oficial.

Por Mauro Câmara

Fonte: G1


A indústria de materiais de construção tem conquistado avanços significativos em solo brasileiro, ainda mais com a recente decisão de Guido Mantega, Ministro da Fazenda, ao estender a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) até 31 de dezembro, para o segmento.

Em nota divulgada no dia 20 de abril, terça-feira, a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) revelou que as vendas pelo setor subiram 25,87% em março deste ano em comparação ao período igual de 2009. Em relação a fevereiro, embora um pouco abaixo, o varejo de materiais obteve ascensão de 22,67%.

Reportagem veiculada pela agência de notícias Reuters assinala que no primeiro trimestre de 2010 o segmento acumula crescimento de 19,9% ante os três meses iniciais de 2009, apesar de as perdas nos últimos meses terem alcançado 4,89%.

Com os dados em mãos, a Abramat acredita que haverá retomada da indústria de materiais, principalmente se se levar em conta a nova fase do programa “Minha Casa, Minha Vida”, sustentado, então, pela etapa dois do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

Mais informações podem ser acessadas aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Numa reforma, ampliação de um espaço ou simplesmente uma alteração de ambientes, a contratação de um profissional qualificado como um arquiteto pode ser considerado um luxo?

Para muitos, sim. Mas analisando com critérios, podemos chegar a uma outra conclusão: a correta distribuição dos ambientes, prestigiando a entrada de luz natural nos ambientes, evitando criar paredes supérfluas e espaços ociosos numa obra é de fundamental importância. O uso de técnicas adequadas no momento de se elaborar o projeto arquitetônico de uma casa ou de uma reforma previne gastos desnecessários, já que otimiza os gastos com canos e parte hidráulica, por exemplo, já que toda a “parte molhada” da obra será corretamente projetada pelo arquiteto.

Além disso, o profissional atuará evitando que erros comuns sejam cometidos, como o excesso de corredores, escadas mal planejadas, falta de tomadas, má ventiliação, ambientes mal iluminados, mau uso do terreno, em suma, o arquiteto é um profissional habilitado para que sua obra fique perfeita, sempre com o menor custo e maior satisfação!

Por Cris Keller


Uma reportagem veiculada pela Agência Estado atesta que Jorge Hereda, vice-presidente de Governo da Caixa Econômica Federal, disse que o banco tentará seguir à risca suas metas iniciais para contratar as 400 mil unidades estimadas dentro do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Para tanto, relata que a documentação dos projetos precisa, necessariamente, estar completa.

Se isso não acontecer, ou seja, se a documentação não estiver em dia, parte das 400 mil unidades serão efetivadas apenas no ano que vem. Ainda dentro dos números do programa, 1 milhão de moradias poderão ser contratadas até o final de 2010.

Em entrevista à AE, Paulo Safady Simão, presidente da Câmara Brasileira da Indústria de Construção (CBIC), relata que até o atual momento, apenas 130 mil das 495 mil unidades foram contratadas. Portanto, prevê que até o final deste ano não serão conquistadas as contratações em sua totalidade.

A matéria completa pode ser lida em aeinvestimentos.limao.com.br.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A fim de contradizer alguns últimos rumores, Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, afirmou em entrevista a emissoras de rádio que nenhuma obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) está estacionada por falta de dinheiro.

Lula justificou, sobre a suposta paralisação de duas obras do programa em Sergipe – uma em Santa Maria e outra em Coqueiral –, que isto é alguma discussão entre empresários, algo da Justiça ou, então, do Tribunal de Contas. De todo jeito, o presidente articulou que consultará Dilma Roussef, ministra-chefe da Casa Civil e responsável pela gestão do programa, para a obtenção de maiores detalhes.

A justificativa mais específica de Lula diz respeito ao Tribunal de Contas, este, que muitas vezes, segundo ele, por causa de indícios de sobrepreço em determinadas obras, obriga o governo federal a remanejar todo o processo. Há, ainda, de acordo com o líder do Brasil, momentos em que a empresa perde a licitação, entra na Justiça e estagna obras.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A tinta epoxi é ideal para você que está construindo ou pensando em construir um ambiente por onde haverá um grande fluxo de pessoas, tráfego de máquinas pesadas e outras “agressões” ao piso ou ao revestimento das paredes, como exposição a produtos químicos corrosivos e outros tipos.

O epoxi é um plástico de alta resistência, um polímero utilizado em diversas aplicações, como placas de circuito impresso, garrafas de refrigerante e, claro, também pisos industriais e tintas anticorrosivas, de alta resistência.

Leia mais sobre o epoxi na Wikipedia.





CONTINUE NAVEGANDO: