Variação do INCC – Abril 2011





Os mais jovens começaram a pensar mais à frente. Bares, baladas, saídas sem destinos passaram a ser substituídos parcialmente por aquisições de bens. A expansão imobiliária no país impulsiona essa tendência, tanto que nos próximos anos a atual demanda pode até causar bolhas no segmento.

O público adulto, por sinal, também procura estabelecer alicerces para seu orçamento. A novidade – nem tão nova assim – partiu, pois, das classes sociais de menor poder aquisitivo, que mesmo com o programa “Minha Casa, Minha Vida” mostrou-se com capacidade mais ampla de adquirir financiamentos.




Indexador utilizado no reajuste de imóveis comprados na planta, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) permaneceu inalterado em 0,23% no primeiro decêndio de abril em relação ao período análogo do mês passado.

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a taxa referente a Materiais, Equipamentos e Serviços desacelerou de 0,44% para 0,13%.


O índice relativo ao custo da Mão de Obra manteve o mesmo nível de antes, em 0,34%.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Compartilhar:


Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *