Portabilidade de crédito imobiliário – vale a pena?



Com a Selic em baixa, juros de crédito imobiliário já começam a baixar. Confira como fazer a portabilidade do seu financiamento

Portabilidade de crédito imobiliário – Vale a pena?

A economia vem tendo altos e baixos já faz algum tempo, e com as constantes queda da Selic, que é a taxa de juros básica da economia, vários serviços de crédito tem seus juros caindo também.

Sendo assim, muitos brasileiros que possuem seus imóveis financiados, e fez o acordo quando a Selic ainda estava em alta, e tinha seus dois dígitos, continuam pagando altas taxas para o banco e não é à toa.



A portabilidade de crédito imobiliário permite essa migração da dívida para um outro banco, já nessa nova condição de taxa Selic baixa que estejam alinhados com o mercado. É possível fazer uma bela economia com essa simples migração.

O que para um cenário de crise como o atual que vivemos é uma ótima oportunidade para continuar podendo pagar o financiamento com mais tranquilidade.



Taxas fixas no momento da compra

No momento da compra, o comprador do imóvel acaba tendo uma taxa fixada, é como se ele tivesse que ficar com isso durante 20 ou 30 anos dependendo do tempo do financiamento. Hoje isso não é mais preciso, já que sofrer com uma taxa alto tendo juros baixos não faz sentido.

Com isso as possibilidades de portabilidade surgiram, e dentro dos moldes que conhecemos hoje, desde 2006 é possível trocar de banco o seu financiamento atrás de juros e taxas mais baixas.

De acordo com a regulamentação nº 3.401/2006 feita pelo Banco Central, todo cliente tem direito de migrar a sua dívida de um banco para outro, com taxas menores e sem custos pode essa transferência.

Em 2013, uma nova resolução aprimorou ainda mais essas regras, que agora passaram a ter outros pontos, como prazo em dias úteis para que o banco dê as informações necessárias da dívida que será portada.

Falta de informação

Apesar de isso já ser uma realidade há vários anos, ainda existe muitos brasileiros que não sabem que isso é possível. É válido ressaltar que as taxas médias de juros seguem a mesma linha em todos os financiamentos do Brasil, incluindo os que são feitos pelo SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), englobando até os imóveis que custam mais de R$ 950 mil, ou R$ 800 mil que costumam ter juros mais caros.

É possível que as taxas caiam mais?

Segundo alguns levantamentos que foram feitos por empresas especializadas, há expectativas sobre essas taxas de crédito imobiliário, mas de acordo com o cenário tão instável que estamos vivendo fica difícil fazer uma previsão muito precisa.

Há uma tendência de que as taxas continuem caindo, mas não dá para saber exatamente até onde ou até quando isso vai acontecer. Os bancos continuam monitorando a inadimplência na pandemia, já que isso acaba aumentando também o custo de dar crédito.

Mas tendo a taxa Selic em 2,25%, e com previsão de mais queda ainda, os juros do crédito imobiliário podem sim cair ainda mais, no segundo semestre desse ano. As expectativas são feitas com base em contratos futuros e negociações que acabam em 2020, e que estão próximo dos 2% ao ano.

Simulações

Várias plataformas estão disponíveis na internet para que você consiga fazer uma simulação de portabilidade. Além disso, também é possível ir até o seu banco ou outro que esteja oferecendo taxas menores e fazer essa simulação.

Por exemplo, um financiamento feito em 2016, quando a Selic estava em 14% ao ano, nos financiamentos era cobrado em torno de 10,70%. Hoje com a Selic aos 2,25% os juros caíram para 7,3% mais ou menos.

Algo que no final das contas, faz muita diferença no longo prazo, pensando que você vai economizar já diretamente nas parcelas e também no montante final do financiamento. Não deixe de procurar pelos seus direitos e faça a portabilidade de crédito imobiliário o quanto antes.

Por: Susan NogArt

Chave

Próximo Post

Não há mais posts

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *