Vendas de imóveis novos vêm caindo nos últimos meses e previsões para o 2º semestre não são animadoras para o setor.

A venda de novos imóveis em São Paulo continua caindo e os novos lançamentos já não atraem tantos interessados assim. A crise no setor se mostra mais forte agora, mas desde o início do ano que já vem dando sinais que os lançamentos imobiliários não teriam boas vendas, pois só no mês de janeiro a queda nas vendas chegou a 28% e nos meses seguintes, com o agravamento da crise econômica no Brasil, o cenário só foi piorando.

De acordo com o SECOVI-SP – Sindicato da Habitação de São Paulo, comparando o início do ano com o mesmo período do ano passado, a queda chegou a 77%. No início de 2014, o mercado não estava em sua melhor fase, mas as vendas conseguiram se manter estáveis e até apresentaram um certo crescimento, mas neste ano de 2015 a situação piorou muito e o que é pior, só vem agravando.

E enquanto de um lado São Paulo vai apresentando uma queda nas vendas, do outro lado vai crescendo o estoque, com um aumento médio de 40% no início deste ano em relação ao ano passado.

Com a chegada do segundo semestre, o temor agora é que se iniciem as demissões em massa também no setor da construção civil, pois os seis primeiros meses foram difíceis, mas havia aquele clima de "espera" por um anúncio de que a crise econômica estaria passando. Só que o segundo semestre se inicia e as perspectivas não são nada animadoras para quem tem lançamentos imobiliários que na verdade já foram lançados há tempos e ficam esperando os compradores aparecerem.

Os lançamentos imobiliários que oferecem residências menores, principalmente de 2 ou somente 1 quarto, têm conseguido um resultado menos ruim, pois são mais baratos e contam com melhor localização, ficando próximo das melhores áreas comerciais e de trabalho, atendendo assim, a um perfil do público que trabalha fora o dia todo e não faz questão de um imóvel tão grande, mas não abre mão que ele seja mais próximo do serviço e dos principais pontos da cidade, evitando assim, perder muito tempo no trânsito.

Houve queda também, na região metropolitana de São Paulo que é composta por 39 municípios. Se compararmos com o desempenho do mercado do ano passado, a queda chega a quase 50%.

Por Russel

Imóveis em São Paulo

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: