Informações reunidas e anunciadas pelo Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis (Secovi-SP) assinalam que após três anos de baixas seguidas, a quantidade de ações de cobrança subiu para mais de 11,8 mil em 2010, contra quase 11,5 mil registradas em 2009.

Para Hubert Gebara, vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do sindicato, a alta pode ter acontecido em virtude das férias, pois ela não está estritamente atrelada às taxas inflacionárias ou empregatícias. Em sua visão, viagens e opções de lazer podem ter aumentado os níveis de endividamento do paulistano.

Embora essa constatação tenha sido descrita, o estudo apontou recuo de 13,2% nos processos realizados no último mês de 2010, com exatos 804 casos, ante os 926 registrados em novembro. Sobre dezembro de 2009, por outro lado, a quantidade de casos registrados pulou para 48,34%.

Em 2010, pondera o sindicato, os custos nos condomínios cresceram 7,69%, em média, mais que o dobro dos números calculados em 2009 (3,66%).

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Secovi-SP


Nos últimos meses, o setor imobiliário do Recife (PE) vem sentindo a retração nas vendas de unidades em grandes e valorizados empreendimentos, como os condomínios fechados.

Dois deles, o Le Parc, situado no bairro da Imbiribeira, e o Evolution, em Boa Viagem, estão com as vendas muito aquém das expectativas dos empreendedores.

O primeiro tem previsão de entrega em junho de 2013 e dos 1.056 apartamentos disponíveis apenas 200 foram vendidos, até março passado. O segundo, tem entrega prevista para julho do próximo ano (2011).

O “freio” dos consumidores e futuros condôminos deve-se, principalmente, ao alto valor do investimento, que chega próximo de R$ 1 milhão. Aliado a isso estão às altas taxas de juros e reajustes cobrados nos financiamentos. O Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), por exemplo, chega a quase 9% ao ano. De quebra, ainda está a desconfiança de que os condomínios não venham a disponibilizar tudo o que oferecem agora, na fase de vendas (na planta).

Por Alexandre de Souza Acioli

Fonte: acertodecontas.blog.br





CONTINUE NAVEGANDO: