Saiba aqui como funciona e como mudar a Conta de Luz para a Tarifa Branca.

O alto consumo de energia elétrica é uma pauta recorrente nos lares, especialmente durante o verão, em que o uso do ar-condicionado é bastante recorrente para aguentar o calor. Mas, e se você pudesse mudar o horário de consumo e ligar o ar somente de madrugada? Sabia que o valor da conta de energia poderia reduzir? Essa é a finalidade da tarifa branca, que existe desde 2018 e é uma opção que indica para os consumidores qual a variação no valor de energia de acordo com o dia e horário de consumo. Ou seja, é possível pagar menos se o consumo de energia elétrica for em horários de menor demanda.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a tarifa branca possui três faixas de horário: os de ponta (maior consumo), intermediário (maior consumo) e fora de ponta (consumo menor).

Assim, através da adesão dessa tarifa diferenciada, o cliente passa a pagar valores distintos conforme o uso da energia. Desse modo, se caso o consumidor utilizar energia em horários de menor demanda como de madrugada, manhã ou início da tarde, com a tarifa branca poderá pagar um preço menor do que o que costuma pagar. Ou seja, esta tarifa é interessante quando se consome energia apenas em horários em que o consumo geral é menor. Por isso, é extremamente importante que o cliente conheça bem o perfil do uso da energia elétrica de sua casa, como quais equipamentos elétricos possui, bem como os horários de maior consumo na residência.

Quero adotar a tarifa branca. O que devo fazer?

Para aderir a essa tarifa, é preciso solicitar à distribuidora de energia elétrica, a qual deverá atender ao pedido em até 30 dias. No entanto, a Aneel possui um cronograma de preferência. Assim, desde janeiro de 2018, podem adotar a medida consumidores que precisem fazer novas ligações, além de unidades consumidoras com média mensal de consumo acima de 500 kW/h.

A partir deste ano, consumidores com média mensal de 250kW/h já podem fazer a solicitação. A Aneel estima que cerca de 15,9 milhões de unidades consumidoras estão aptas a fazer a mudança. Já o restante das unidades poderá fazer o pedido da tarifa branca somente em 2020.

A adesão não tem custos. É a distribuidora de energia que arca com as despesas referentes à instalação e de um novo medidor.

Como saber se a tarifa branca será vantajosa

De acordo com o site da Aneel, o consumidor de energia elétrica precisa fazer um estudo sobre o perfil de consumo, como em que horários costuma utilizar energia, bem como quais são os equipamentos que possui em casa.

Chuveiros elétricos, por exemplo, são conhecidos por consumirem bastante energia elétrica, especialmente nos horários de ponta, das 18h às 22h. Ar condicionado, aquecedores, máquinas de lavar roupa e louça também entram no rol dos aparelhos que mais gastam energia. Portanto, se você possui em sua residência estes equipamentos e costuma utilizá-los à noite, a tarifa branca não será vantajosa, a não ser que ocorra uma mudança nos hábitos do consumo.

No entanto, se conseguir mudar os horários dos banhos, por exemplo, para o período da manhã ou à tarde, haverá uma diminuição considerável no consumo de energia elétrica e, concomitantemente a isso, o valor a ser pago no final do mês sofrerá um decréscimo.

E se eu me arrepender?

O consumidor poderá voltar a utilizar a tarifa normal a qualquer momento. Basta entrar em contato com a concessionária de energia elétrica e fazer a solicitação. Esta, por sua vez, tem um prazo de até 30 dias para atender ao pedido. Mas, se o cliente quiser voltar a utilizar a tarifa branca, deverá aguardar por quatro meses. Somente após passo o prazo poderá fazer a solicitação novamente.

Andréa Corneli Ortis


Instalação do sistema fotovoltaico em residências cresce a cada ano. Confira aqui qual o custo de instalação de um painel de energia solar em casa.

A geração de energia solar é bem favorável em nosso país, uma vez que o Brasil conta com mais de três mil horas de sol por ano. O custo ainda é alto para o investimento no sistema fotovoltaico em residências, mas é algo que começa a crescer.

O custo para a instalação de uma estrutura de pequeno a médio porte começa dos R$ 15 mil e vão até R$ 85 mil (variando de acordo com a potência). Os benefícios do investimento vêm do desempenho da geração da energia com uma grande economia e isso faz com que a adesão dos painéis solares cresça a cada ano.

Para mostrar o salto da tecnologia, no ano de 2012, segundo números da Associação Brasileira de Energia Fotovoltaica (Absolar), somente três casas contavam com os painéis solares. Porém, até o final de 2015, o número já era maior de 1.700 mil.

Por exemplo, em uma casa, a instalação de oito painéis fotovoltaicos tem um custo por volta de R$ 20 mil. Todo esse sistema faz uma geração de 430 quilowatts por mês. A redução no final do mês na conta de luz é enorme. Em uma casa que a média da conta era de R$ 480, o número chegou até os R$ 80 (nos dias onde o sol predomina na região em questão).

Em Curitiba, no Paraná, a medição da energia quando a casa conta com os painéis solares é feita através de um medidor digital que entra no lugar do analógico e é distribuído pela Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel). O medidor vai fornecer dados sobre o volume de energia que será produzida, o seu gasto e o que foi acumulado.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), hoje já se encontram liberadas linhas de financiamento para pessoas físicas através de bancos federais e privados com juros reduzidos para que seja possível facilitar a adesão deste sistema de painéis solares.

Há também um projeto de lei para a criação do Imposto Predial e Territorial Urbano Verde (IPTU), sendo que os municípios que aprovarem a medida vão disponibilizar descontos para o valor do tributo frente as construções que apresentem medidas que contribuem com o meio ambiente, como é o caso da captação solar.


A Tesla Powerwall é uma bateria doméstica, capaz de armazenar energia solar.

A empresa Tesla já é uma conhecida fabricante norte-americana de automóveis movidos a eletricidade, ou seja, carros que utilizam fontes alternativas à combustão para funcionarem. A empresa é um dos maiores expoentes no que diz respeito a pesquisas sobre fontes energéticas alternativas e formas de armazená-las. Agora a empresa apresentou ao mundo a novíssima Tesla Energy, uma bateria completamente doméstica e capaz de armazenar energia solar. A novidade tem previsão de chegar às lojas ainda neste ano no segundo semestre e promete mudar a "forma como o mundo utiliza energia em grande escala".

A versão doméstica do aparato é chamada de Tesla Powerwall e consiste em uma bateria recarregável de íons lítio que pode ser colocada em uma das paredes da casa. O produto terá duas versões uma oferecendo 10 quilowatts-hora e a outra 7 quilowatts-hora. A versão de maior capacidade sairá por 3.500 dólares e a menor por 500 dólares a menos. A previsão é que o produto fique mundialmente disponível até o próximo ano. A empresa afirmou que a versão de 10 kWh é completamente capaz de fornecer energia quando há uma quebra no sistema normal de abastecimento elétrico. Claramente, o sistema deve fornecer economia significativa aos seus usuários.

A Powerwall pode ser instalada completamente independente de uma alimentação elétrica tradicional dependendo apenas de células fotovoltaicas para sua alimentação. Elon Musk, presidente da companhia Tesla afirmou em entrevista que espera que o produto tenha papel semelhante ao que assumiram os celulares quando estes substituíram as linhas fixas, ou seja, a empresa tem intenção de revolucionar as matrizes energéticas vigentes em todo o mundo.

A empresa ainda acredita na funcionalidade dos paineis para comunidades menores e mais desfavorecidas economicamente já que a funcionalidade do equipamento independe completamente da presença de redes elétricas. Para o consumidor médio, o uso da nova bateria poderia significar economia de até 25% das contas tradicionais.

Por Nosf

Tesla Powerwall

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: